O que é o tom de voz? Como o defino?

Sabem quando leem um artigo ou um post e conseguem logo identificar a marca? Significa que a marca tem um tom de voz consistente. Significa que comunicam sempre da mesma forma e vocês já se habituaram a lê-los assim.

O tom de voz da nossa marca é algo que devemos ter bem presente quando criamos conteúdos ou até quando respondemos a um simples comentário. É este tom que vai dizer ao nosso público quem somos. A mensagem pode ser importante, mas a forma como a transmitimos causa muito impacto.

Hoje queremos falar um pouco sobre este tema. Queremos dar-vos as ferramentas para começarem a explorar (ou a afinar) o vosso tom de voz.

O que vamos ver:

  1. O que é o tom de voz;
  2. Como o definir;
  3. Como manter o tom de voz consistente.

 

1. O que é o tom de voz e porque é importante?

O tom de voz é a forma como comunicamos. Somos engraçados? Informais? Agressivos? O tom de voz é composto pelas palavras que escolhemos e pelas frases que construímos. 

O tom de voz não é a nossa mensagem — é a forma como transmitimos essa mensagem.

Por exemplo:

Informam-se os potenciais alunos que as vagas para o curso se encontram abertas. Por favor, efetuem o vosso registo durante o próximo mês de agosto. 

ou

As vagas para o teu próximo curso já estão abertas! Inscreve-te durante o mês de agosto!

Como podem ver, a mensagem é a mesma, mas a forma como a transmitimos é totalmente diferente e vai apelar a audiências diferentes. É por isso que o tom de voz é tão importante, podemos ter a melhor mensagem do mundo mas, se não soubermos como a transmitir, não vamos chegar a quem queremos.

 

2. Como podemos definir o tom de voz?

Como já viram, o tom de voz é um dos aspetos mais importantes de uma marca, por isso é algo que deve ser definido com muito amor e carinho (e tempo). Se estiverem a definir a vossa estratégia de comunicação digital, este deve ser o vosso primeiro passo.

Vamos partilhar convosco três passos que vos vão ajudar:

 

     2.1. Conheçam a vossa audiência

Antes de definir o tom de voz, é preciso saber com quem querem comunicar. Qual é o público-alvo? Quais são as preferências desse tipo de clientes? Procuram marcas que transmitam mais solidez? São pessoas que precisam de se relacionar com as marcas?

 

     2.2. Conheçam a vossa marca

É preciso para um bocadinho e analisar a nossa marca, saber quem somos. Identificar os nossos valores, que imagem queremos ter? Que tipo de comunicação queremos ter? Este aspeto, em conjunto com as necessidades da nossa audiência, vai ser a linha orientadora da nossa comunicação.

 

     2.3. Definir o tom em quatro dimensões

Há várias abordagens para definir o tom de voz — por aqui, gostamos especialmente da abordagem do Nielsen Norman Group onde o tom de voz é definido ao analisar o nosso posicionamento em quatro dimensões diferentes:

 

 

Tom de voz

 

 

Não vamos detalhar tudo aqui, por já está tudo bem explicado no site do NNG, mas queremos deixar mais algumas notas que vos podem ajudar:

  • Entendam as consequências das vossas escolhas — Um tom engraçado vai apelar a um público mais descontraído, mas vai passar menos segurança; 
  • Não é a vossa preferência pessoal — Custa ouvir, mas uma marca tem vida própria. Quando escolhemos o nosso tom devemos ter em conta aquilo que a marca precisa/reflete e não aquilo que gostamos;
  • Criem copy de teste — Não basta dizer que a vossa marca é “adjetivo x”. Criem mesmo frases onde tentam usar essa característica e vejam se conseguem aplicar.
 

3. Não se esqueçam de o manter consistente

Pode parecer fácil, mas não é, acreditem em nós. 

É super natural colocarmos a nossa voz pessoal nos conteúdos da nossa marca quando estamos a escrever — principalmente se não tivermos experiência. Um copywriter está habituado a escrever para várias marcas e a respeitar vários tons de voz, por isso, consegue “esconder” a sua voz pessoal. Agora, quem não o costuma fazer, tem que ter atenção redobrada para garantir que o resultado final está alinhado com a marca e não com o escritor.

Criem um style guide e consultem-no sempre antes de escreverem as peças (pelo menos, as mais longas). Vai ajudar-vos a refrescar a memória e a manter o tom bem presente. Neste style guide coloquem também as regras adicionais, por exemplo, que pontuação utilizam, se são super rígidos com a gramática ou não… tudo isto deve estar alinhado com o tom de voz. Por exemplo, uma marca super jovem e fresca não precisa de ser tão rígida com as regras da gramática — querem fazer listas e não usar ponto e vírgula? Está tudo bem, desde que esteja definido no style guide.

Esperemos que tenha sido útil e que consigam encontrar o tom certo para a vossa marca ✨

Se tiverem dúvidas e/ou sugestões, falem connosco! (Email | Instagram)

DEGRAU A DEGRAU

 

Uma newsletter mensal sobre o mundo da comunicação digital, dicas para empreendedores e templates para vos ajudar neste caminho 🙌