Canais de comunicação — Como saber em quais devo estar?

Canais de comunicação são meios que podemos utilizar para comunicar com os nossos clientes e potenciais clientes. Temos as redes sociais, sim, mas temos muito mais do que isso. Na verdade, temos muitos canais e nem sempre é fácil perceber em quais devemos estar, onde somos realmente úteis. 

Por melhor que seja o nosso produto/serviço, se não conseguirmos chegar aos nossos potenciais clientes e passar-lhes a mensagem que precisamos, não conseguimos desenvolver o nosso negócio.

Hoje vamos falar um pouco sobre perceber os canais, qual o seu papel e como saber em quais devemos estar. 

O que vamos ver:

  1. O que são canais de comunicação;
  2. Para que servem;
  3. Como saber em quais estar;
  4. Não estar em todo o lado.

 

1. O que são canais de comunicação

Canais de comunicação são meios que podemos utilizar para comunicar com os nossos clientes ou potenciais clientes. 

Quando dizemos “comunicar” não nos referimos apenas a falar, a difundir uma mensagem. Uns mais do que outros, os canais de comunicação servem para interagir, para falar e para ouvir, para criar uma relação com a nossa audiência.

Para sabermos em que canais faz sentido estar, é preciso primeiro relembrar que tipo de canais existem. Não vos vamos aborrecer com uma lista infinita, só queremos mencionar alguns que vos vão ajudar a ter em conta as possibilidades, por exemplo: telefone; sms; chat; chatbot; email; notificações push; blog/site; redes; webinars; fóruns.

Quando pensamos em canais de comunicação é natural que a nossa mente salte logo para as redes sociais, afinal, são uma fatia bem grande da nossa comunicação, mas as redes são apenas um tipo de canal. É certo que é um canal bastante comum, mas não podemos cometer o erro de nos esquecermos dos outros canais que temos à disposição.

 

2. Para que servem?

Sabemos que servem para comunicar, mas, tal como no ponto anterior, pode ser importante perceber que funções podem cumprir. 

Quando comunicamos com um cliente ou potencial cliente, podemos ter vários objetivos em mente:

  • Responder a pedidos de cliente, como pedido de informações, propostas, etc.;
  • Partilhar conteúdo útil para a audiência, gerando valor e fidelização;
  • Obter feedback do cliente sobre produto ou serviço;
  • Informar de novidades da empresa ou tendências de mercado;
  • Partilhar promoções atuais;
  • Criar pesquisas de mercado para conhecermos melhor a nossa audiência.

Estes são apenas alguns exemplos de objetivos que podemos ter com a comunicação, mas convém ter em conta que os objetivos são específicos de cada negócio e não há uma receita certa. 

 

3. Como saber que canais de comunicação escolher? 

O primeiro passo para decidir em que canais queremos estar é conhecer bem os nossos objetivos. Porque queremos comunicar e em que momentos precisamos de o fazer? Depois, precisamos de ter em conta o nosso público-alvo, quais são os canais que utiliza frequentemente. 

Vamos usar o exemplo que criámos no último artigo sobre pilares de comunicação — a empresa de pet sitting 🐶

 

Vamos imaginar que os nossos principais objetivos são:

1. Partilhar conhecimento útil e fidelizar;

2. Responder a questões/pedidos de cotação;

3. Recolher feedback sobre o serviço que prestámos.

 

E o nosso público-alvo é:

Pessoas entre os 25 e os 40 anos, moradores na cidade e com vidas cheias de atividades. Podemos assumir que estas pessoas são maioritariamente digitais, não gostam de perder tempo nem de esperar. 

  • Para o objetivo 1 (partilhar conhecimento e fidelizar): As redes sociais, nomeadamente o Instagram, podem ser um bom aliado. O nosso público já as utiliza e é uma forma de criar conteúdo partilhável, criar relação e ajudar a aumentar a awareness da marca.
  • Para o objetivo 2 (responder a questões/pedidos de cotação): Devemos ter em conta que o nosso público não tem muito tempo, por isso vai privilegiar respostas rápidas. WhatsApp, Instagram e telemóvel são boas opções porque, neste caso, as respostas são simples e fáceis de dar nestes meios. Imaginem que têm um negócio onde as propostas são bastante complexas — estes meios já não seriam os ideais para a vossa marca.
  • Para o objetivo 3 (recolher feedback): Queremos saber como correu tudo para entendermos onde podemos melhorar e também para termos experiência para partilhar. Um formulário (muito simples) enviado por email pode ser uma boa solução. Estamos a respeitar o tempo do nosso cliente e não estamos a ser intrusivos. Podemos também oferecer um pequeno desconto para o futuro e, assim, obtemos a informação que procurávamos e ainda fidelizamos o cliente.

 

Por favor, tenham em conta que isto foi um exemplo muito simples e não resultado de uma estratégia pensada 😅  Parece que decidimos oficialmente que a empresa fictícia de pet sitting vai ser sempre o nosso exemplo – agora só temos que lhe arranjar um nome.

 

4. Não estar em todo o lado 

Como podem ver, escolher os canais certos para o nosso negócio implica algum pensamento sobre o nosso público, os nossos objetivos, mas também sobre a nossa disponibilidade. De nada nos serve estar em 20 canais se depois não conseguimos dar resposta com qualidade ou ser consistentes. 

Sobre as redes sociais, porque têm um peso tão grande, não se esqueçam que o vosso negócio nunca deve estar assente apenas nas redes sociais. Tentem ter canais que vocês controlam, como email ou site/blog. 

Só mais uma coisa. Não precisamos de estar em todo o lado. A nossa disponibilidade e aquilo que podemos fazer neste momento também contam. Muitas vezes menos é mais.

 

Esperemos que esta reflexão sobre canais de comunicação tenha sido útil e que vos ajude nesta missão que é trazer valor aos nossos clientes. 🤎

Se tiverem dúvidas e/ou sugestões, falem connosco! (Email | Instagram)

DEGRAU A DEGRAU

 

Uma newsletter mensal sobre o mundo da comunicação digital, dicas para empreendedores e templates para vos ajudar neste caminho 🙌